110276-crumpled-paper-icon-social-media-logos-rss-cube

banner

Reproduzimos a continuaçom do comunicado que o Coletivo de Pres@s Independentistas Galeg@s publicou no seu blogue no dia de ontem perante o Dia Internacional d@s Pres@s Polític@s:

logo_cpigNestas datas previas ao 17 de Avril, Dia Internacional de Apoio aos/ás Pres@s  Políticos, o C.P.I.G. como ven sendo habitual, dirigimos a nossa comunicaçom  pública, valorando o contexto actual que entrentamos @s prisioneir@s polític@s  independentistas e as perspetivas que se abrem na nossa luita coletiva em defesa dos  nossos direitos e objetivos politicos.

Este ano veuse umha especial significaçom para o movimento  independentista e a  solidariedade política com @s pres@s galeg@s ao cumprir-se dez anos do início de  umha nova xeira, practicamente ininterrompida, com prisioneir@s independentistas
galeg@s  nos cárceres espanhois. nesta década a intervençom armada sostida pola  resistência galega foi capaz de gerar umha conflitividade política que trouxo  consigo detençons e encarceramentos, dispersom e rigoroso régime carcelário junto a  um incremento da excepcionalidade penal aplicada aos/ás repressaliad@s galeg@s. À  par de tudo isto, assistimos com confiança e satisfaçom à acumulaçom de força da  solidariedade anti-repressica e à assistência integral ao nosso Coleitivo. Devemos
hoje, reconhecer publicamente o enorme trabalho desenvolto polo Organismo Popular  Anti-repressivo Ceivar e pola Associaçom Cidadá Que Voltem a Casa!, que con acerto e  esforço militante  fortalecerom umhas referências ineludíveis na luita contra a  repressom espanhola.

Desde os dous lados dos muros, socializamos  a situaçom d@s pres@s independentistas,  ampliamos a sensibilidade ante as vulneraçons de direitos e a política carcerária  aplicada ao C.P.I.G. mantmos umha dinámica de resposta e mobilizaçom frente a  repressom, fomentamos umha cultura militante que nos garante respeito e  referencialidade nas cadeias. Estes som exemplos da pertinência e validez da luita  coletiva nos cárceres e nas rúas, estamos convencidos de que continuaremos obtendo  melhoras e avances, aproximándo-nos aos objetivos de traslado à Terra  e  agrupamento, como passo prévio à liberdade.

Chegados a este ponto, nom podemos deixar de reconhecer que a política penitenciária  espanhola, caracterizada pola chantagem e a separaçom do nosso espaço social e  político, foi capaz de fazer-nos dano, provocando a derrota e claudicaçom de alguns  presos. Nom devemos deixar de lembrar que nesta década, a inmensa maioría  d@s  irmaos/ás mantivo a dignidade  militante e a fidelidade à luita. Dezaoito militantes  fomos encarcerad@s, d@s quaias só quatro rematarom optando por saídas  individualistas e desleais á luita coletiva. A eleiçom individual ademais do que supom para @ pres@ que ensaia essa falsa saída, reforça a política penitenciária de castigo que continuam sofrendo @s militantes do Colectivo e nom pode gerar mais que a firme opossiçom do C.P.I.G. e do movimento popular. Nesta luita, necessitamos o apoio incondicional do movimento popular, nom ha mais alternativas que a unidade arredor do Colectivo de Pres@s Independentistas Galeg@s, exigimos lealdade e firmeza com o nosso Colectivo, resumirémo-lo em umha frase clarificadora " dentro do Colectivo todo, fóra do Colectivo nada". Desde o respeito e a irmandade todo se pode falar, proponher e valorar, desde o individualismo ninguem deve esperar nada da Galiza patriota e solidária.

Nós, combatestes pres@s, galeg@s e orgulhos@s, mantermos a unidade militante, reivindicando a nossa condiçom de pres@s polític@s, participando das reivindicaçons, cuidando os nossos vinculos, dispost@s a defender-nos colectivamente ante qualquer necessidade de um/ha irmao/á. Sabemos que voltaremos à Galiza, racharemos a separaçom imposta e conquistaremos a liberdade, com a solidariedade imprescindível do independentismo nas rúas. Hoje em Dueñas, León, Ocaña e Valladolid o C.P.I.G. dirige um saúdo agradecido e generoso aos/às solidári@s galeg@s. Ánimo e adiante!

Viva Galiza Ceive!

Denantes Mortas que Escravas!

 

Sin_ttuloQue é um/a pres@ polític@?

Um/a pres@ polític@ ou prisioneir@ polític@ é qualquer pessoa à que se lhe mantenha na cadeia porque as suas ideias e/ou as suas actividades suponham um desafio ou ameaza para o sistema político establecido. Que a causa pola que está presa a pessoa física contenha um elemento político significativo, já sexa a motivaçom dos seus actos, os actos em si mesmos ou a motivaçom das autoridades.

Hai pres@s polític@s no Estado Espanhol?

Amnistía Internacionalreconhece que todos os governos afirmam que no seu país nom hai pres@s polític@s, este é o caso do Governo Espanhol, que mantem recluidas a 498 pessoas por razóns desta índole;  aos que ademais de estar pres@s, engade-se-lhe a tortura da dispersom, práctica que é ilegal.

A dispersom consiste em dispersar ás presas e presos por cadeias situadas a centos de quilómetros da sua terra, e obriga a viajar ás suas familias e amizades todas as fins de semana para poder compartir com elas só 40 minutos de visita a través de um vidro.

Sabias que...

Desses 498 pres@s polític@s, 14 som cidadáns galeg@s:

7 som comunistas e anti-fascistas:

Mónica Refoxos Pérez (dispersada en Jaén), María José Banhos Andujar (dispersada em Picassent, Valencia), Victoria Gómez Méndez (dispersada em Cáceres), Carmen Cayetano Navarro (dispersada em Puerto de Santa Maria, Cádiz), Ignacio Varela Gómez (dispersado em Puerto de Santa Maria, Cádiz), David Garaboa Bonillo (dispersado em Villena, Alacant), Francisco Cela Seoane (dispersado em Picassent, Valencia)

6 som independentistas:

Maria Osorio López (dispersada em Mansilla de las Mulas, Leon)

Antom Santos Perez (dispersado em Duenhas, Palencia)

Eduardo Vigo Dominguez (dispersado em Ocanha, Toledo)

Roberto Rodríguez Fialhega (dispersado em Villanubla, Palencia)

Raul Agulheiro Cartoy (dispersado em Mansilla de las Mulas)

Hector Jose Naya Gil (dispersado em Valdemoro, Madrid)

1 é anarquista:

Gabriel Pombo da Silva (dispersado em Topas, Salamanca)

Que é Ceivar?

O Organismo Popular Anti-Repressivo Ceivar somos umha organizaçom anti-repressiva e independentista galega, que entre outras cousas denuncia a repressom motivada por questons políticas, ofrece assintência jurídica e trabalha a solidariedade coas e cos presos independentistas, fazendo-a estensível ao resto de presas e presos políticos.

LIBERDADE PRES@S POLÍTIC@S GALEG@S!!

VIVAM @S PRES@S INDEPENDENTISTAS!!

 

martin-villa-fascista-webDurante esta tarde o Concelho de As Pontes emitia um comunicado no que declarava suspensa a conferência que ia impartir o ex-alto cargo franquista, Rodolfo Martín Villa, quem foi acusado pola justiça argentina de ter cometido delitos de lesa humanidade. Esta personagem fora convidada para falar sobre o processo de “transiçom” após o passamento de Franco.

Segundo o documento remitido polo governo local, a cancelaçom deve-se a questons de “segurança” depois de que se comprovaram nas redes sociais as convocatórias para boicotar o ato. O Concelho de As Pontes refire-se ao chamamento feito polo partido independentista Causa Galiza no que se denúncia que Martín Villa tivo responsabilidades políticas durante o franquismo e é a quem se lhe atribuem os assassinatos de mais de 15.000 galegas/os.

Além dos assassinatos de galegas/os, Villa também tem aberto um processo de extradiçom internacional pola morte de cinco obreiros. A isto engadem-se a morte de 30 pessoas em Euskadi, vínculos com a “Guerra Sucia” levada a cabo polos GAL e relaçom com montagens policiais contra a CNT ou com atentado contra o independentista canário Cubillo.

Desde o Organismo Popular Anti-repressivo CEIVAR parabenizamos a organizaçom popular que derivou numha vitória na que se conseguiu enviar a mensagem de que os repressores nom serám bem-vindos na Galiza.

 

concerto-webCom o galho do 17 de Abril, Dia Internacional das/os Presas/os Políticas/os, no Organismo Popular Anti-repressivo CEIVAR estamos impulsando a campanha “Achega a tua solidariedade, alonja os seus muros” que consiste en fazer um presente às/aos presas/os políticas/os galegas/os dispersados em prisons espanholas.

Ademais, com a intençom de lembrar a todas aquelas pessoas que afrontam o mais elevado grao de repressom, CEIVAR convoca um concerto solidário que terá lugar em Compostela o próprio dia. Para elo contaremos com dous grupos galegos que sem dúvida achegarám umhas palavras reflexivas, de recordo mas também de ánimos num convívio no que os fundos arrecadados irám destinados a combater a repressom.

 Aguardamos-vos!

Data: 17 de Abril
Hora: 21h30
Lugar: A Gentalha do Pichel (Compostela)
Entrada: 3 euros
 

Sin_ttuloCom o galho do 17 de Abril, Dia Internacional das/os Presas/os Políticas/os, o Organismo Popular Anti-repressivo CEIVAR dá começo hoje a umha campanha que levará por legenda “Achega a tua solidariedade, alonja os seus muros”.

O objetivo desta campanha é achegar dumha forma física a solidariedade até os centros penitenciários espanhóis onde se atopam dispersadas/os Maria, Teto, Antom, Edu, Heitor e Raúl. O mecanismo é singelo: em vários pontos do País haverá ubicadas umhas caixas nas que poderedes deixar o material que desejedes enviar às/aos presas/os independentistas galegas/os e CEIVAR encarregará-se de fazer-lho chegar mediante os pacotes. Estará aberta até o 20 de Abril.

O material que vos recomendamos que deixedes para que passe os controlos de segurança das prisons som:

  1. Roupa e calçado
  2. Livros e revistas
  3. Cartas, postais, desenhos e fotografias em envelope (deverám ir com remite)
  4. Lá, teas, fios ou material para fazer manualidades

Assim mesmo lembrade que deveredes indicar o nome da/o presa/o a quem vai dirigido.

Os pontos de recolhida serám:

Compostela: A Gentalha do Pichel (rua de Santa Clara 21)
Vigo: Centro Social A Revolta (rua Real 12)
Ourense: Bar Lusco-Fusco (rua da Liberdade 9)
Lugo: Centro Social Mádia Leva! (rua Serra dos Ancares, 18)
Burela: Xebra Associaçom (rua Leandro Cucurni, 19)

Desde o Organismo Popular Anti-repressivo CEIVAR queremos animar-vos encarecidamente de participar nesta campanha para que a solidariedade chegue plasmada de incontáveis formas até as prisons. No Dia Internacional das/os Presas/os Políticas/os, faz-lhe um presente!

Para qualquer consulta ou se queredes ubicar um novo ponto de recolhida, estamos ao vosso dispor polas canles de comunicaçom habituais.

 

44621-738-550Continuando com o acosso permanente à cidadania, o Misterio del Interior pretende conseguir para dezembro um sistema informático que detete a “terroristas” antes de que estas pessoas poidam subir a um comboio ou a um aviom. O novidoso é que Interior aspira a controlar a gente sem antecedentes penais, é dizer, a quem nom tiver cometido delito algum.

O ministério de dirige Jorge Fernández publicou a demanda com o objetivo de que algumha empresa poida cubrir a tarefa de desenvolver o programa informático. Este sistema permitiria conhecer o perfil demográfico e sociológico de milhares de pessoas em base a pesquisas em Twitter, Google Plus, Linkedln, Tumblr, Instagram, Flickr, Google, Bing, Yahoo y Duck Duck Go mas também em fontes audiovisuais como YouTube, Vimeo y LiveLeak. Todos os dados que se geraram como fotos, comentários, etc nom passariam a desaparecer nunca da base de dados além de que a/o usuária/o os elimine do seu perfil.

O mesmo ocorre com a pegada digital que já é obrigatória para as visitas nos centros penitenciários e incluso em aeroportos.

O ministro di que esta ferramenta deve-se a que normalmente as Fuerzas y Cuerpos de Seguridad del Estado (FSE) “tienden a concentrarse en los datos relativos a personas de las que ya se sospecha, es decir, las personas que son conocidas por las autoridades policiales”. E isso nom lhe basta. De conseguir-se o sistema, a nova informaçom será manejada tanto por Policía Nacional e Guardia Civil num arquivo informático.

Nom obstante, os correios electrónicos e chamadas telefónicas continuarám que ter sido aprovadas por um juiz no marco de investigaçons concretas. Igualmente o historial médico está blindado por Lei.

Se por algo se tem caracterizado o Ejecutivo de Rajoy é polo grave incremento do controlo social e da repressom. Esta novo programa informático que roça a ciência ficçom somentes é um passo mais para tentar penetrar na mais absoluta privacidade da vida das pessoas. Qualquer dado será registrado, cruzado e guardado para que nada se escape a um sistema guvernamental que cumpre com todos os requisistos das ditaduras mais obsoletas sem um mínimo respeito aos direitos mais elementais. Ainda assim tam cúmplice é o Estado Espahol como os organismos internacionais dos que forma parte e nom tomam medidas contundentes ante esta vaga repressiva.

 
Mais artigos...
Calendário Ceivar 2015

csc_banner2

Colaboraçom Económica
colab_economica_2014
O Teito é de Pedra
mostra_capa
Lei de Segurança Cidadá
LSC_2014web
Endereços d@s Pres@s

 koala_web

raul_web

maria2014_web

edu_web

teto_web

antom2014_web

Atópanos nas redes sociais



feisbuk

imagem_web_autodefesa

banner_numero_conta_2014